É hora de assumir o chocolate no nosso dia-a-dia, sem culpa, sem medos! ?

A Dra Ana Pedro, nutricionista, deixa-nos a sua opinião.

Os desejos por chocolate são normais e, não têm que estar, necessariamente, imputados às flutuações hormonais. Contudo, na maior parte dos casos, a origem do desejo é hormonal. O consumo de chocolate, rico em triptofano, leva à libertação de hormonas associadas ao prazer, como a serotonina e a dopamina, daí a sensação de bem-estar.

“A ingestão de 2 quadrados de chocolate vai interferir com a minha balança? Ouço muito esta questão, e a minha resposta é: claramente, não! Não há um plano alimentar, por mim elaborado, que exclua este prazer. As calorias que os 2 quadrados de chocolate representam são pouco significativas no global do processo.”

Na vertente nutricional, o maior benefício associado ao chocolate, dado os seu teor em cacau é o vasto teor em polifenóis (que conferem poder antioxidante). Por isso, a preferência do chocolate que ingerimos, deve recair sobre o chocolate de elevada percentagem de cacau. 

O valor calórico do chocolate negro, de leite e branco não varia substancialmente (note-se que o chocolate branco não tem na sua composição cacau). Varia sim, o percentual de açúcares (maior no chocolate branco). 

Assim sendo, a resistência ao chocolate é inútil, mas todo o cuidado é pouco. Não nos podemos esquecer que a quantidade que ingerimos é a expressão máxima da sabedoria da ingestão! Devemos ter em atenção o défice calórico do nosso dia. 

Conheça o nosso serviço de consultas de Nutrição, à quarta-feira, com a Dra Ana Pedro, e tenha acesso a receitas e dicas saudáveis, de forma a atingir os seus objetivos. Pergunte-nos como ?